Meu time do 1° turno da Ligue 1

Posted on Dez 31, 2017

Como era de se esperar, o PSG virou o 1° turno na cabeça do pelotão, com uma vantagem de 9 pontos sobre Monaco e Lyon. Apenas 3 jogos sem vitória (2 empates e 1 derrota).

Uma vantagem lógica para um time absurdamente acima dos seus competidores no território francês.
Portanto predominam os jogadores parisienses no meu time do 1° turno (6 de 11).

Esquema escolhido : 4-2-3-1. o novo sistema na moda na França. Aquele que permite colocar mais jogadores ofensivos em campo sem perder equilíbrio.

LOPES
D. ALVES – MARCELO – MARQUINHOS – ROUSSILLON
RABIOT – L. GUSTAVO
NEYMAR – FEKIR – MBAPPE
CAVANI

LOPES (Lyon) – o goleiro do Lyon hoje tem a experiência necessária a todo goleiro para manter um nível altíssimo, evitando os erros que cometia nas temporadas anteriores.
Reserva = Tatarusanu (Nantes)

D. ALVES (PSG) – Não precisou de tempo de adaptação para mostrar liderança dentro e fora de campo. Apesar dos anos, consegue apoiar forte com assistências e muitas finalizações, sem deixar espaços nas costas.
Reserva = Aguilar (Montpellier)

MARQUINHOS (PSG) – Zagueiro mais usado por Emery, ele não falha, não comete faltas, é seguro, tranquilo. Com ele o PSG (e o Brasil) pode ir para qualquer batalha.
Reserva = Rami (Marseille)

MARCELO (Lyon) – o brasileiro de 30 anos é uma grata surpresa. Não é o mais rápido nem o mais técnico mas ele domina a função com maestria. E trouxe serenidade defensiva que o Lyon buscava há tempo.
Reserva = Diego Carlos (Nantes)

ROUSSILLON (Montpellier) – Difícil não colocar um jogador da melhor defesa do campeonato. Ele esta muito a vontade nesse 3-5-2, claro que é ajudado na parte defensiva mas a velocidade dele faz muitos estragos nos adversários.
Reserva = Jorge (Monaco)

RABIOT (PSG) – No meio campo do líder, foi ele que mais se destacou. Chegou a maturidade com enorme potencial técnico e físico que sempre teve.
Reserva = Thiago Mendes (Lille)

LUIZ GUSTAVO (Marseille) –  Outra grata surpresa brasileira da Ligue 1. Volume de jogo impressionante. Recupera, orienta, e ainda por cima, finaliza com uma canhota que não perdeu força a pesar dos anos. Se o Marseille esta na briga pelo pódio, é em grande parte por causa dele.
Reserva = Ndombélé (Lyon)

FEKIR (Lyon) – Reposicionado no coração do jogo, onde expressa melhor suas qualidades de dribles e de finalizações, ele voou nesse 1° turno. Quando ele toca na bola, alguma coisa acontece. Talento puro que acrescentou o trabalho defensivo na sua bagagem para frisar a perfeição.
Reserva = Malcom (Bordeaux)

NEYMAR (PSG) – A Ligue 1 esperava um jogador diferenciado e não se decepcionou. Com muito mais liberdade que no Barça ele consegue criar mais jogadas e fazer mais gols. A adaptação foi instantânea mas a entrega é oscillante. Ele pode fazer muito mais, sobre tudo na parte defensiva. E ele deve, porque ele quer ser o melhor do mundo, e não pode correr o risco de ver um garoto companheiro mostrar mais brilho do que ele. O que vinha acontecendo nas últimas rodadas.
Reserva = Thauvin (Marseille)

MBAPPE (PSG) – Precisou de um tempo de adaptação do 4-4-2 do Mônaco ao 4-3-3 do PSG e uma posição menos centralizada. Uma vez que se ajustou, voltou a ser o atacante imparável que era no Mônaco. Ao ponto de terminar o 1° turno sendo o melhor do time, na frente de Neymar & Cia.
Reserva = Grandsir (Troyes)

CAVANI (PSG) – 19 gols em 19 jogos. Matador e guerreiro em campo. Um exemplo de entrega, dedicação, trabalho defensivo. Tudo menos o artilheiro egoísta.
Reserva = Falcao (Monaco)