A Ligue 1, maior contribuinte fiscal do mundo do futebol

Posted on Set 19, 2017

O PSG conseguiu atrair o Neymar mas isso não deve esconder a realidade de competitividade do futebol francês. Não tem outro campeonato no mundo que pague tantos impostos e encargos, os clubes franceses são os mais tributados do mundo, assim como os jogadores que atuam na Ligue 1.

Pessoas que reclamam da fraqueza do campeonato francês tem que ter noção disso. Pode ser chato falar de fiscalidade no futebol mas isso é fundamental porque se trata de competitividade, atratividade de grandes jogadores com salários altos.

Esse gráfico abaixo já fala por si. Mostra os encargos sociais pagos por um jogador que ganha 600 000 EUR bruto por ano (jogador bem mediano).
França é x5 Inglaterra, x12 Italia, x15 Alemanha, x66 Espanha. Na Russia os jogadores são simplesmente isentos de encargos sociais.

Ou seja, fora a França, todos os países estabeleceram condições fiscais especiais para jogadores de futebol. Eles não precisam contribuir para a sociedade.  Mesmo na Alemanha, a pesar dessa imagem de país socialmente justo que eles querem divulgar para o mundo, mas que esconde uma grande precariedade dos trabalhadores pobres.

Nesse 2° gráfico abaixo, a parte dos encargos pagos pelo clube (empregador) na base desse mesmo salário de 600 000 EUR anual. Mais uma vez a Alemanha e Espanha oferecem uma quase isenção de encargos.

Nesse último gráfico, esses mesmos encargos pagos pelo clube só que para um salário de 1,8 M EUR (que ainda esta longe do que ganham as grandes estrelas). Podem constatar que na Alemanha, Espanha e Italia, o valor pago pelo clube é o mesmo que para o salário de 600 000 EUR, evidenciando uma clara isenção fiscal para bons jogadores e acima.

É assim que o PSG, por exemplo, acaba pagando 100 Mi EUR a mais de impostos que Barça/Real por ano, ou seja, um Neymar a cada dois anos só em impostos adicionais.

E não é só o PSG que paga isso, todos os clubes da Ligue 1 – até os mais pobres – são submetidos a essa carga fiscal.

Pode botar toda arbitragem vídeo que quiser, as injustiças continuarão.  Principalmente pelo dinheiro e pela carga fiscal. É ainda mais injusto considerando que a União Europeia prega uma harmonização fiscal entre países membros.

A Ligue 1 perde inúmeros bons jogadores por esse motivo fiscal. O torcedor do time perde, o sonho de ver o time contratar craques e brilhar nas copa europeias fica bem distante.
Mas a sociedade francesa ganha. Quantos hospitais, escolas, infraestruturas o país ganha com o dinheiro do futebol ? Vale a pena parar e pensar…